Cadastre-se e receba novidades de Promovol Eventos

André marca em estreia, e Grêmio bate o Cruzeiro no Mineirão em largada no Brasileiro

André marca em estreia, e Grêmio bate o Cruzeiro no Mineirão em largada no Brasileiro

RESUMÃO
A tabela do Brasileirão reservou logo de cara, em seu jogo de abertura, o embate entre dois de seus principais postulantes ao título, Cruzeiro e Grêmio, numa oportunidade e tanto para apresentar suas credenciais pela taça. E as duas equipes travaram um duelo à altura do peso da partida, neste sábado, no Mineirão, com predominância para os gremistas. Com uma atuação ao seu estilo costumeiro que rendeu o tri da América em 2017, o Tricolor controlou o jogo até fazer 1 a 0 com o estreante André, já no segundo tempo. E soube sofrer até o fim, após a expulsão de Kannemann, para largar com três pontos no Nacional.

NA TABELA
Com a vitória, o Grêmio é a única equipe a pontuar no Brasileirão até aqui e, assim, lidera o Nacional com três pontos. Claro, há todo o restante da primeira rodada a ser disputada na noite deste sábado e no domingo. O Cruzeiro segue zerado na tabela.

PRÓXIMOS COMPROMISSOS
Após a estreia no Nacional, as duas equipes mudam o foco para a Libertadores. O Cruzeiro enfrenta o Universidad do chile no Estádio Nacional, em Santiago, às 21h30 da quinta-feira, pela 3ª rodada do Grupo 5. Antes, o Grêmio duela com o Cerro Porteño, no La Olla Azulgrana, às 21h30 da terça-feira.

Pelo Brasileirão, a Raposa volta a campo no domingo, para encarar o Fluminense, às 16h, no Maracanã, na 2ª rodada. O Tricolor estreia em casa também no domingo, mas às 19h, contra o Atlético-PR.

PRIMEIRO TEMPO
Cruzeiro e Grêmio travaram um primeiro tempo digno de dois fortes postulantes ao título. Nem tanto pelo futebol apresentado, é verdade. Mas pelas estratégias adotadas, de muita cautela. Mesmo fora de casa, o Tricolor teve amplo domínio da posse de bola (67%) contra um rival disposto a fechar espaços em frente à área para explorar os contra-ataques. Foram 45 minutos de muitas trocas de passes – em especial dos gremistas – na região central do gramado e nenhuma chance clara de gol. A Raposa tentou ameaçar, sem efeito, em cruzamentos e escanteios pela direita e em finalizações de longa distância. Os visitantes apostaram na velocidade de Everton, bem contida por Dedé e Léo.

SEGUNDO TEMPO
Mano Menezes aproveitou o intervalo para promover a entrada de Sassá na vaga de rafael Sobis. Mas a principal alteração para a segunda etapa se materializou em posturas mais agressivas das duas equipes em um duelo bem mais franco e vertical. Em especial, após o gol do Grêmio, anotado por André, aos 8, após bela jogada de Ramiro pela direita.

A partir daí, as propostas se inverteram: o Cruzeiro passou a ficar mais com a bola, obstinado a buscar o empate, contra um rival disposto a explorar os contra-ataques. Thiago Neves ameaçou em chute da pequena área e obrigou Marcelo Grohe a grande defesa. Depois, foi a vez de Everton testar Fábio em arremate de fora da área. A pressão cruzeirense cresceu nos 15 minutos finais, após a expulsão de Kannemann, por falta dura em Arrascaeta. Mas o Tricolor soube se defender para arrancar com três pontos.

ESTRELA DO ESTREANTE
Com a camisa 90 às costas, André viu seu nome atrair os holofotes da escalação gremista, ao fazer sua estreia pelo clube e voltar aos gramados 70 dias após sua última partida, ainda no Sport. Principal contratação do Grêmio para o Brasileirão, o centroavante, claro, sentiu a falta de ritmo e de entrosamento com os companheiros. Mas tudo isso ficou em segundo plano, ofuscado pelo brilho do estreante, que, com oportunismo, marcou o gol da vitória após bela jogada de Ramiro e assistência de Everton.

SARRAFO
O Cruzeiro batalhou em busca do empate e não o conseguiu mesmo com um a mais nos minutos finais da partida. Kannemann foi expulso aos 27 do segundo tempo após entrar atrasado e acertar apenas De Arrascaeta ao entrar de carrinho na entrada da área. O gringo esbravejou - e muito - contra a arbitragem.

PRESSÃO DO CRUZEIRO
O Cruzeiro arranca com uma derrota amarga dentro de casa para um rival direto na briga pelo título. Mas não por falta de esforços ou indingação. A Raposa perseguiu o gol de empate com insistência no segundo tempo. Mas parou ora em Marcelo Grohe, com duas belas defesas em chutes de Thiago Neves e Mancuello, e ora na falta de pontaria, em boas oportunidades de Arrascaeta.

Fonte: thttps://globoesporte.globo.com/mg

Apoio / Parceiros

Sobre a Promovol

Todos os direitos reservados a Promovoleventos.com.br